Esse post traz uma dica de destino bem pertinho do Rio de Janeiro, mais precisamente há 3 horas e meia de carro da capital. Perfeito para um final de semana ou um feriado prolongado, Visconde de Mauá agrada tanto os amantes de natureza, quanto aqueles que querem apenas relaxar e curtir um pouco de paz.

O acesso à região se dá pela Rodovia Presidente Dutra, de onde se pega a entrada para Penedo/Visconde de Mauá. De lá, basta seguir pela RJ-163 até o seu destino final. É super fácil de chegar! Inclusive, uma das coisas mais legais de Visconde de Mauá é que ela fica bem na divisa do estado do Rio de Janeiro com Minas Gerais, o que significa que metade da cidade está em solo carioca e outra metade em solo mineiro. Existem singelas diferenças entre os dois lados de Mauá, e eu vou contar pra vocês já já!

Se me perguntassem o que esperar de Visconde de Mauá eu diria: trilhas, cachoeiras e boa gastronomia. Se você curte esses três elementos, não tenho dúvidas que você vai adorar viajar pra lá!

Veja abaixo mais dicas sobre as vilas, onde ficar, quando ir e o que fazer em Visconde de Mauá!

Ponte que separa a vila de Maringá entre os estados de MG e RJ

AS VILAS

Visconde de Mauá é o nome que se deu para “resumir” 3 pequenas vilas chamadas Mauá, Maringá e Maromba. Mas já adianto que basicamente tudo acontece entre essas duas últimas.

Maringá é onde está a “civilização”. A maioria das pousadas, lojinhas, bares e restaurantes ficam por lá. É onde eu recomendo ficar hospedado, já que durante a noite a vila fica bem cheia e pode ser meio chato de estacionar o carro caso você precise dele para chegar até lá. Tanto o lado carioca quanto o mineiro de Maringá possuem pousadas legais e eu diria que tanto faz qual lado ficar, já que a vila é tão pequenina que qualquer distância a pé se torna irrelevante.

Eu fiquei na Pousada Verde Novo, bem no meio do burburinho do lado carioca. A localização é ótima e as acomodações são simples, mas confortáveis. O café da manhã é servido de forma privativa na varanda do quarto, e apesar de simples, é bem completo e gostoso. Achei que a pousada entregou tudo que precisávamos por um preço ok.

Café da manhã na Pousada Verde Novo, em Maringá

A diferença entre os dois lados de Maringá está mais relacionada ao perfil dos estabelecimentos em cada um. Enquanto a parte carioca me pareceu mais animada, com muito barzinho, lojinhas e restaurantes mais simples, no lado mineiro os restaurantes são mais chiques, românticos e caros. A vantagem é que tudo é tão pertinho que você pode decidir na hora qual vibe você está mais a fim. =)

A vila de Maromba vem logo depois de Maringá, e é caminho para as principais cachoeiras da região. Também tem uma oferta grande de pousadas, que ficam mais afastadas do centrinho. Não tem tanta opção de restaurante, então provavelmente você terá que ir para Maringá comer a noite. Vale a pena ficar aqui caso sua prioridade seja se desligar um pouco do mundo e curtir a natureza.

QUANDO IR

Diria que qualquer época do ano é boa para ir a Visconde de Mauá, com exceção dos meses de chuva (dezembro e janeiro), já que elas podem impossibilitar os passeios de cachoeira. Fora essa temporada, a cidade possui aquele clima serrano ótimo para curtir em qualquer estação do ano.

Nos primeiros finais de semana de maio costuma acontecer a Festa do Pinhão na cidade, um grande evento que reúne música, cultura e gastronomia. Dizem que a cidade fica bem animada! Então, se tiver pensando em viajar para lá, que tal ir nessa época?

O QUE FAZER

O turismo em Mauá se resume a trilhas, cachoeiras e gastronomia. As cachoeiras mais famosas que tem por lá são: do Escorrega, Véu da noiva, Poção da maromba, Santa Clara e as cachoeiras do Vale do Alcantilado. Todas são de fácil acesso e você consegue chegar de carro, com exceção das do Alcantilado, onde é necessário fazer uma trilha para conhecer todas elas.

Além das cachoeiras, outro passeio muito comum é a conhecer o pico da Pedra Selada. É possível chegar de carro até o pé da montanha, de onde se pega uma trilha pesada até o topo da pedra. Pelo que soube, a trilha tem dificuldade média para alta, com bastante subida íngreme. É recomendada para pessoas com preparo físico, já que são 3 horas de caminhada e o pico está a uma altura de 1775m.

Quando o assunto é gastronomia, Mauá se destaca principalmente pela Truta, peixe de água doce típico da região. Você vai notar que em praticamente todos os restaurantes a truta é o ingrediente principal dos pratos. É possível encontrar desde pastel de truta até pratos mais sofisticados como foundue e risoto. E são todos deliciosos! Não saia de lá sem comer a famosa truta, ein! 😉

Trilhas e cachoeiras: principais atrações de Visconde de Mauá

Para curtir a noite, existem alguns poucos barzinhos mais animados com música ao vivo, por exemplo. O forte da cidade são os seus vários restaurantes, tendo opções para todos os gostos, desde lanchonetes simples até bistrôs mais românticos. E para quem curte fazer umas comprinhas, por lá é possível encontrar também algumas lojas de roupas de frio boas e muito mais baratas do que encontramos nas capitais. Ou seja, melhor forma possível de encerrar um dia, não é? 😉

Quer ver uma sugestão de roteiro de 3 dias para te ajudar a planejar sua viagem para Visconde de Mauá? Entre aqui nesse post!


E continue me acompanhando no Instagram do @blogpelocaminho! 🙂

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Nome