Quer conhecer Visconde de Mauá no Rio de Janeiro mas não sabe muito bem o que fazer por lá? Então esse post é para você! Fiz uma sugestão de roteiro de 3 dias para fazer na cidade, incluindo as melhores cachoeiras e um dia de passeio em Penedo.

Visconde de Mauá é uma pequena cidade localizada na fronteira do Rio de Janeiro com Minas Gerais, ficando há apenas 198km de distância da capital carioca. Próximo ao Parque Nacional de Itatiaia, a cidade é uma excelente opção de destino para quem quer relaxar na natureza em um fim de semana ou num feriado prolongado. Ainda está em dúvida se Visconde de Mauá é o destino ideal para você? Veja nesse post tudo que você precisa saber sobre a cidade antes de ir.

Mas então, vamos ao roteiro?

DIA 1: SANTA CLARA/VÉU DA NOIVA/POÇÃO DA MAROMBA/CACHOEIRA DO ESCORREGA

Nesse primeiro dia da viagem a ideia é fazer uma rota entre as principais cachoeiras da cidade. De carro, basta subir a RJ-151 em direção a Vila da Maromba. A entrada para as cachoeiras ficam uma após a outra ao longo da via.

A primeira da rota é a Cachoeira de Santa Clara, cuja entrada está sinalizada por uma placa escrita “Vale da Santa Clara”. Eu acabei não parando nessa, mas é uma das mais frequentadas de lá. Recomendo dar uma passada antes de seguir para as outras!

Logo em seguida vem a Cachoeira do Véu da Noiva. Essa é uma das mais altas da região e possui uma queda d’água perfeita para um banho de “chuveirão”, além de render belas fotos. Ah, um detalhe: não tem muito espaço para estacionar por ali. Nós acabamos deixando o carro numa casa simples que tem logo ao lado da entrada da trilha para a cachoeira. Se você quiser ir até o mais perto possível da trilha, você pode arriscar e tentar deixar lá também. Eles cobraram R$ 5,00 para nos deixar estacionar no quintal deles. E quanto a trilha, pode ficar tranquilo que é bem fácil e curtinha! 😉

Voltando para a estrada, a próxima cachoeira da via é a Poção da Maromba. Essa é uma das famosas da região e fica bastante cheia. Nela você pode pular de uma queda de 7 metros (isso mesmo!). Eu não tive coragem, mas quem tiver, desejo boa sorte! Hahaha! Essa é de mais fácil acesso do que a Véu da Noiva: tem um pequeno estacionamento logo na frente da cachoeira e não é necessário fazer trilha para chegar até ela.

cachoeira poçao da maromba visconde de maua
Cachoeira Poção da Maromba

Continuando viagem e subindo mais um pouco a RJ-151 você vai chegar na cachoeira mais famosa da cidade: a Cachoeira do Escorrega. Você vai perceber que está se aproximando dela quando notar a fila de carros estacionados nas laterais da rua e a confusão que fica ali em cima de carros subindo e voltando ao mesmo tempo. Você vai ficar tentado a parar o carro em qualquer lugar pela via, mas tome cuidado: apesar de parecer difícil, é possível ser multado lá. E nós estamos aqui de prova! Levamos uma multa por parar o carro na lateral da rua, rs =(

Mas…voltando a Cachoeira do Escorrega! Essa é a que tem a melhor estrutura de todas. Logo na entrada você verá algumas lojinhas de artesanato e lanchonetes. Lá dentro tem ainda dois restaurantes grandes, sendo um deles com um deck de frente para a cachoeira. A boa é escorregar na famosa pedra da queda d’água e logo depois almoçar apreciando essa bela vista da natureza. No restaurante, nós comemos uma truta na pedra acompanhado de arroz, feijão e batata frita por R$ 73,00. Uma delícia passar a tarde por lá! 🙂

cachoeira do escorrega visconde de maua
Cachoeira do Escorrega vista de cima. Por: @mcardosophotos

Hora de voltar para a pousada e descansar até a hora do jantar. Nesse dia, nós decidimos comer na vila de Maringá no restaurante Maison de La Foundue. Depois de rodar as duas vilas inteiras, vimos que esse era o que apresentava o melhor custo benefício. Tinham duas opções de foundue para escolher: 1- carne e frango na pedra com diversas opções de molho e legumes, foundue de queijo com pães e de chocolate com frutas (R$ 75,00 por pessoa) ou 2- carne, frango, truta e camarão VG com os mesmos acompanhamentos da opção anterior (R$ 95,00 por pessoa). Escolhemos a primeira opção e fomos muito felizes! Recomendadíssimo! =)

DIA 2: VALE DO ALCANTILADO

O Vale do Alcantilado possui uma grande trilha que passa por 9 cachoeiras diferentes e fica localizado dentro de uma propriedade privada. Por isso, é cobrada uma entrada de R$ 20,00 para o acesso, podendo ser pago em dinheiro ou cartão.

Saindo de Maringá, basta seguir a RJ-151 em direção à vila de Mauá. Durante o caminho, fique atento pois a entrada para o Alcantilado fica do lado esquerdo da estrada e não existe uma placa sinalizando. A dica que eu dou é ligar o GPS antes de sair do hotel para aproveitar o wi-fi, já que o sinal de internet é inexistente na estrada. Guiando-se pelo GPS as chances de errar o caminho são menores.

Pegando a entradinha do lado esquerdo da estrada, são 3km de estrada de chão a dentro até chegar no Vale. Prepare-se para sujar bastante o carro e cuidado para não furar o pneu nas pedras! Chegando lá você verá um estacionamento grande e uma lanchonete com wi-fi, água e besteirinhas. Recomendo aproveitar para comprar água ali mesmo, pois durante a trilha não tem!

vale do alcantilado visconde de maua
Entrada do Vale do Alcantilado

Logo na entrada você pode pegar o mapa da trilha para ver todo o percurso e as cachoeiras que tem no caminho. O nível da trilha é fácil, mas para quem não está acostumado a fazer, pode ser cansativa. Quanto as cachoeiras, já adianto que a Gruta do Granito é a mais legal de todas!

vale do alcantilado visconde de maua
Mapa da trilha das cachoeiras do Alcantilado. Fonte: www.viscondedemaua.blog

E me permitam dar um spoiler para vocês: a cachoeira do Alcantilado não é nada demais. Ela é a última da trilha e fica no ponto mais alto do vale. É apenas apreciativa pois não é possível tomar banho nela, e sinceramente, a vista do mirante (número 5 do mapa) é bem mais bonita do que a que vemos por lá. A última parte da trilha até a cachoeira do Alcantilado é a mais chatinha de fazer, tem bastante subida e se você já estiver cansado pode ser que não valha a pena ter esse trabalho todo só por isso. Mas claro, se você tiver disposição e não quiser perder nenhum detalhe do passeio, sempre vale a pena. 😉

Na volta da trilha, aproveite para comer um pastel de truta na lanchonete que tem lá dentro e descanse em alguma das mesinhas do gramado!

vale do alcantilado visconde de maua
Trilha do Vale do Alcantilado. Foto: @mcardosophotos

Voltando para a cidade, decidimos ir até o Biergarten, que fica no lado mineiro de Maringá. Bebemos umas cervejas artesanais e comemos o risoto de cogumelos do restaurante Champignon, que fica logo ao lado. Bem gostosinho esse lugar!

Mais tarde no jantar, comemos em um bistrôzinho chamado Uai, tchê. Pedimos um creme de batata e um de mandioca com queijo e estavam ambos deliciosos!

DICA EXTRA: Que tal fazer umas comprinhas de roupas de frio? Lá tem muuuita lojinha e tudo de muita qualidade e muito mais barato do que vemos nas cidades grandes. Vale a pena dar uma olhadinha 😉

DIA 3: PENEDO

Que tal aproveitar seu último dia de viagem para conhecer Penedo antes de voltar pra casa? A cidade fica a somente 30km de distância de Visconde de Mauá e também tem muita coisa legal para conhecer, além de uma gastronomia super rica.

Comece seu dia indo direto para o centrinho da cidade para conhecer a Pequena Finlândia. Lá você pode conhecer o museu do Papai Noel, a fábrica de chocolates e várias lojinhas de sorvete finlandesas. Para quem não sabe, Penedo é a única colônia de finlandeses do Brasil. Por isso, muito do turismo na cidade está relacionada aos costumes e tradições desse país.

museu do papai noel penedo
Foto no museu do Papai Noel

Fiquei passeando a pé pelo centro por cerca de 1 hora, e além de ter visitado a Pequena Finlândia, vi várias lojas de roupa e uma infinidade de restaurantes e bares legais. Penedo é uma cidade maior e mais estruturada que Visconde de Mauá, por isso apresenta mais opções de entretenimento urbano.

Decidimos almoçar no restaurante Jardim Secreto, o mais famoso da cidade. E posso dizer que ele não é o mais famoso à toa, afinal o lugar é muito charmoso e a comida realmente deliciosa. Ele fica a uns 15 minutos do centro de carro e valeu muito a pena a ida até lá!

jardim secreto penedo
Nossos pratos deliciosos no restaurante Jardim Secreto, em Penedo

Caso não queira visitar Penedo, minha sugestão é conhecer as outras cachoeiras da cidade que não foram inclusas aqui ou fazer a trilha da Pedra Selada.

Boa viagem! =)


Curtiu as dicas? Para acompanhar as minhas viagens em tempo real e ver mais dicas legais como essas, me segue lá no Instagram @blogpelocaminho ! =)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Nome